Receitas tradicionais

Prêmios Taste Test 2010: Vencedores da Categoria Artesanal

Prêmios Taste Test 2010: Vencedores da Categoria Artesanal

Provamos produtos de todo o país para encontrar o melhor do melhor dos artesãos de alimentos de pequena produção. Por Cindy Hatcher

Os vencedores artesanais

Com muita alegria provamos o trabalho artesanal de artesãos de alimentos de todos os cantos do país. A maioria desses produtos pode ser encomendada online; alguns exigem uma visita ao produtor, mas são tão bons que tivemos de incluí-los. Nota: Provamos por região, não por categoria, procurando exemplos de excelência local. Um cheddar vencedor de Vermont não foi comparado a uma raclette de Michigan; ambos são igualmente excelentes. Nós nos concentramos em cinco categorias principais: queijos, destilados e cerveja, carnes, condimentos e doces, com algumas escolhas diversas (e irresistíveis).

Melhor em queijo: Michigan

Raclette Leelanau Cheese Company (US $ 12,50 / lb.) Ideal para derreter em um sanduíche ou fondue, este queijo de estilo suíço de nozes moderadas da fazenda, pousada e vinícola "destino agrícola" de Michigan tem o nível certo de funk fresco da fazenda.

Melhor em queijo: Vermont

Adegas em Jasper Hill Cabot Clothbound Cheddar (a partir de US $ 20 / lb.) De uma parceria entre produtores de queijo artesanais e o gigante Cabot de Vermont, este cheddar é forte e rico no estilo inglês, bem quebradiço, com pedaços daqueles cristais crocantes também encontrados em grandes queijos como o parmesão.

Melhor em queijo: Washington

Cheddar emblemático de Beecher, com 4 anos de idade ($ 22 / lb). Assim como Oregon provou que o fantástico pinot noir ao estilo francês poderia ser feito na costa oeste, o Beecher's produz um cheddar incrível, longe (mas perto da mesma latitude) da fonte inglesa. Rico, profundo, denso e gramado.

Melhor em queijo: Virgínia

Leite de vaca cru semi-macio Meadow Creek Dairy Appalachian (a partir de US $ 18 / lb.) Não se deixe enganar por sua aparência e aroma benignos de manteiga: este é um queijo muito leitoso com um chute ligeiramente pungente, agudo e cítrico. Sua textura macia e cremosa cobre sua boca da melhor maneira. Disponível de junho a março.

Melhor em queijo: Novo México

Queijo de Cabra Envelhecido Sweetwoods (a partir de $ 16 / lb., 505-465-2608). O envelhecimento de pelo menos 3 meses lhe dá uma textura parecida com a do gouda, além de um sabor de cabra claro e capim e um toque de doçura. De uma pequena fábrica de leite de cabra cru que existe desde o início dos anos 1990. Disponível apenas em alguns mercados de agricultores, restaurantes e Whole Foods no Novo México.

Melhor em destilados e vinhos: Tennessee

Corsair Artisan Gin (a partir de $ 22). Do país do whisky de milho vem um gin seco, perfumado e apimentado, aromatizado com uma mistura incomum de vegetais tradicionais, colhidos de forma sustentável. Vendido e servido no Litoral Sul e Oeste.

Melhor em destilados e vinhos: Novo México

Blue Corn Brewery Transcendental Tripel (a partir de $ 10,50). A adição de uma pequena quantidade de lavanda cultivada localmente - incomum para Tripels belgas - empresta perfume a esta cerveja rica, com 8,5% de álcool, boa para bebericar com comida. Disponível nos meses de inverno apenas nas duas localizações da cervejaria em Santa Fé.

Melhor em destilados e vinhos: Colorado

Uísque Stranahan’s Colorado (a partir de $ 50). A destilação de pequenos lotes está passando por um boom, e este é um exemplo importante: à base de cevada (como uísque) e envelhecido em carvalho (como o bourbon), este uísque destilado de Denver tem um nariz cítrico, quase xerez e um sabor vibrante . Vendido online e em 30 estados.

Melhor em destilados e vinhos: Wisconsin

Gin da porta da morte ($ 32). Apenas três ervas temperam este gin: erva-doce, coentro e zimbro selvagem colhido na Ilha de Washington do Lago Michigan. É como uma boa vodka com um toque picante sutil - doce e aveludado. Perfeito para beber lentamente com gelo.

Melhor em carne: Virgínia

Presunto Turner House Country Ham (a partir de $ 3 / lb). Você pode pedir lindos presuntos curados com açúcar desta empresa de Shenandoah Valley, que tem mais de 35 anos. Quando fatiado em fatias finas, o presunto tem uma textura e um sabor deliciosamente semelhantes ao prosciutto - doces, notas de caramelo equilibradas pela quantidade certa de sal.

Melhor em carne: Dakota do Sul

Tall Grass Buffalo Jerky ($ 10). A maioria dos jerkies que provamos lembrava couro salgado. Esse não. Tem uma textura surpreendentemente flexível, mas gratificantemente substancial; o sabor de carne se mistura com especiarias e fumaça, inclinando-se mais para a pimenta do que para o sal. De búfalos que vagam por uma fazenda de 18.000 acres.

Melhor em carne: Arizona

Carne de porco no garfo e bacon com corte de ombro ($ 12 / lb). O bacon do ombro, ao invés da barriga, é mais magro e tem a quantidade certa de marmoreio sem ser supergordurado. Isso é o que o bacon de peru aspira ser, mas não é. A carne de porco vem de uma fazenda boutique que cria apenas 60 porcos de cada vez.

Melhor em carne: Califórnia

Boccalone Nduja ($ 24 para dois). Notável pasta de salame de um empreendimento de San Francisco com menos de 10 anos. Nduja (pronuncia-se en-doo-ya) é um verdadeiro achado: um embaixador semelhante a um chouriço para barrar, de intenso sabor de porco curado. A laranja amarga destaca a fumaça picante e o travo fermentado. Um pouco adiciona um ponche a sopas e molhos.

Melhor em carne: Nova York

Salumeria Biellese Wild Boar Sopressata ($ 130 [inclui frete] para cinco peças de 1 libra). O fabricante de salsichas artesanais da velha escola de Manhattan, que existe desde 1925, combina javali com vinho, especiarias e zimbro para produzir um sabor perfeitamente arredondado e equilibrado em um salame curado a seco.

Melhor em condimentos: Nevada

Lattin Farms Cantaloupe Jam (a partir de $ 4). No início, ficamos em dúvida sobre uma geléia de melão, mas depois nos conquistamos completamente por essa conserva, que tem um sabor tão honesto de melões Hearts of Gold, cultivados localmente. De uma fazenda pertencente à família Lattin há gerações em Fallon, Nevada. Disponível na barraca da fazenda da família e nos mercados de agricultores do norte de Nevada.

Melhor em condimentos: Washington

Sticky Fingers Bakeries Orange Coalhada ($ 6). Menos coalhada de limão azeda que a antiquada, com um sabor incrivelmente fresco e brilhante de casca de laranja. Simplesmente espalhe um biscoito ou torrada ou eleve a alturas sublimes espalhando, digamos, uma torta de queijo de cabra cremosa. De uma empresa Spokane de 23 anos.

Melhor em condimentos: Nova York

Breezie Maples Farm Maple Syrup (a partir de $ 4). Esta fazenda familiar com certificação orgânica produz quatro tipos de xarope bom, além de uma pasta cremosa de bordo. Amostramos todos os quatro graus - do leve e suave Grau A ao Extra Escuro semelhante ao melaço - e cada um oferece ótima cor, sabor e uma sensação quase amanteigada na boca. O Extra Dark é deslumbrante.

Melhor em condimentos: Carolina do Norte

Filha do fazendeiro Hyderabadi Tomato Chutney ($ 8). Este é um dos chutneys mais saborosos e perfeitamente temperados que já provamos. Excelente com peixes, batatas e até mesmo um hambúrguer de salmão. Disponível durante todo o ano no Carrboro Farmers ’Market, de um produtor artesanal de conservas, picles e doces estilo Slow Food.

Melhor em doces: Carolina do Norte

Biscoitos da Morávia com especiarias e gengibre da Salem Baking Co (a partir de $ 2). É difícil acreditar que algo tão fino como um sussurro pode embalar tanto sabor. Salem tem 11 variedades, mas a original é a nossa preferida. Doze deles fornecem as mesmas calorias de um biscoito de chocolate comum. A empresa opera desde 1930.

Melhor em doces: Massachusetts

Effie’s Caseiros Corncakes ($ 36 por 6 malas). Um dos melhores biscoitos do mundo, dizemos: ligeiramente doce e sedutoramente salgado, com sabor a farinha de milho e crocante de fubá e um toque de erva-doce. Um produto de um ano com caráter atemporal. Effie's também oferece bolos de aveia e noz-pecã.

Melhor em doces: Illinois

Doce Margy Tofikomin (US $ 12 por uma folha de 8 onças). Ei, quem escondeu o afikomen em uma cobertura rica de caramelo e chocolate? Margy Kaye fez isso, depois de transformar seu hobby de fazer doces em negócios em 2006. Embora amemos o crocante de pão ázimo a qualquer momento, o casamento com o toffee amanteigado é inspirador.

Melhor em doces: Oregon

Ícones de chocolate Alma (a partir de $ 15). Pequenos presentes espetaculares para os amantes do chocolate: os confeiteiros de Portland derramam chocolates de origem única em lindos moldes (de corações, pássaros, demônios, Budas risonhos, cruzes celtas e muito mais) e, em seguida, pincele ouro comestível de 23 quilates. Os resultados parecem antigos e têm um sabor divino.

Melhor em doces: Utah

Chocolates artesanais de chocolates (a partir de $ 12). Não tínhamos ouvido falar do “principal chocolatier artesanal de Utah” (tem apenas dois anos) até que provamos essas belezas, que oferecem recheios intensos e suaves e sabores atraentes (mel de colmeia, gengibre australiano) em chocolates lindamente acabados que não são primorosamente caros .

O melhor do resto: Nova York

Brooklyn Brine Co. Fennel Beets (US $ 20 por 2 frascos de 16 onças). Beterraba salgada até ficar sublime por uma parceria de nova geração com a Big Apple em conserva. De textura firme e complexa, com sabores de alho e grão de mostarda, juntamente com notas de alcaçuz de estragão e sementes de erva-doce. E então um pequeno chute inesperado cortesia de grãos de pimenta-do-reino e flocos de pimenta. Senhor, eles são bons.

O melhor do resto: Michigan

Mistura Spicy Bloody Mary de McClure (Online por caixa apenas; $ 120 incluindo frete para 12 potes). Este suco de tomate salgado, picante e com sabor de picles simplesmente faz o melhor Bloody Mary que já provamos - ele também irá satisfazer os abstêmios. (Dica: conforme a jarra diminui, complete com Clamato para aumentar sua variedade.) Também disponível individualmente em mercados gourmet selecionados.

O melhor do resto: Oregon

Freddy Guys avelãs torradas a seco (a partir de $ 6). Doze anos atrás, uma família nova no negócio da fazenda de nozes comprou um pomar de avelãs no Oregon; eles agora produzem um excelente exemplo do arquétipo da noz do Noroeste do Pacífico, perfeitamente torrada e sem sal, com sabor rico e profundo de avelã e crocante glorioso.

O melhor do resto: Nova York

Receita de Aloha para pássaros adiantados ($ 8). A granola de pequena produção é tão comum quanto a semente de passarinho e muitas vezes não é muito mais interessante - até que você experimente a perfeição do Early Bird. É tudo sobre crocância, coco-nozes, doçura e um pouco de sal alegre. A mistura Aloha contém aveia, sementes de girassol, açúcar mascavo, xarope de bordo, flocos de coco, cubos doces de manga seca e nozes de macadâmia amanteigadas.

O melhor do resto: Wisconsin

Óleo de semente de abóbora Hay River ($ 22). Este óleo vibrante de sementes de abóboras cultivadas organicamente oferece uma bela alternativa ao azeite de oliva como um finalizador de sabor. Imagine isso mexido na sopa de abóbora ou simplesmente regado com pão torrado.

O melhor do resto: Califórnia

Óleo de noz la Nogalera (a partir de $ 17). Essência de nozes torradas em forma de óleo sedoso, prensado a frio, com uma qualidade agradavelmente adstringente que fala tanto da pele quanto da carne de noz. De um trio de cultivadores de nozes no Condado de Santa Bárbara. Pede para ser servido sobre uma salada ou macarrão quente.

O melhor do resto: Novo México

Pó Chimayo Vermelho (US $ 20 por pacote de 4 onças). Mistura incrivelmente complexa de sabores defumados, doces e terrosos com calor modesto, de uma variedade de chile nativa americana de 400 anos cultivada no Novo México. É vendido por meio do Native Hispanic Institute, que se dedica a preservar a cultura da região. Leia a história no site deles, peça e polvilhe o vibrante pó em uma sopa à base de tomate, em ovos mexidos ou em qualquer alimento que se beneficie de temperos ricos e quentes.

O melhor do resto: Alabama

Belle Chèvre Belle e The Bees Breakfast Cheese ($ 8,50). Quase todos os queijos de cabra com sabor que provamos eram menos interessantes do que a opção simples. Não Belle and The Bees. Um pequeno toque de doçura de mel de Tupelo suaviza o sabor de cabra. A textura leve e fofa é divina em pão integral torrado ou muffin de farelo.

Melhor do resto: Ohio

Sorvete de cereja lambic de Jeni (US $ 48 por 4 litros). Começa com uma estrutura delicada, quase cremosa e verdadeiro sabor de cereja (sem gosto de gota de tosse falso aqui), em seguida, adiciona interesse com leves tons fermentados, cortesia da distinta cerveja belga. Esta empresa sediada em Columbus oferece uma série de sabores exclusivos; nós também gostamos Meyer Lemon Yogurt e Riesling Poached Pear Sorbet de Jeni e o sorvete de chocolate escuro é mortalmente delicioso.

O melhor do resto: Carolina do Norte

The Bamboo Ladies Bamboo Pickles (US $ 15 por frascos de 2 [9 onças]). O que começou como sete ramos de bambu atrás da casa de Johnsie Walsh no condado de Wilkes em 1970 é agora um bosque de 3 acres cuidado por três gerações de famílias. Se você costuma achar picles do sul excessivamente doces, ficará surpreso com o equilíbrio ácido do vinagre e com uma textura crocante e maleável, semelhante ao palmito enlatado, mas sem o gosto residual metálico. Charmosos, estranhos e deliciosos, eles são um presente perfeito para o foodie aventureiro.

O melhor do resto: Louisiana

Arroz de Jasmim Castanho com Grãos Cajun (US $ 35 por 4 [4 libras] bolsas). Aqui está o arroz para converter um partidário do arroz branco em um fanático do arroz integral. De um agricultor de terceira geração que mudou há 15 anos para os métodos orgânicos. Este arroz é pontilhado com pedaços de arroz vermelho selvagem natural, adicionando sabor e textura maravilhosos. Cozinhe até ficar al dente na medida certa, pronto para um pouco de feijão vermelho.

O melhor do resto: Califórnia

Manteiga Crocante de Amêndoa Massa Organics ($ 13). Um sabor poderoso de amêndoa torrada fresca com profundidade que desmente sua lista de ingredientes ultra-simples: amêndoas torradas. De uma fazenda de arroz integral e nozes perto de Chico, que combina a colheita mecanizada com padrões orgânicos sustentáveis ​​- um empreendimento inspirador.


2015 Awards

Os melhores produtos e produtores alimentícios da Irlanda são celebrados no prêmio Irish Food Writers ’Guild 2015

A proveniência e a autenticidade dos alimentos estiveram no topo da agenda do Irish Food Writers 'Guild Food Awards, já que sete produtores de alimentos foram premiados e homenageados pelo alto padrão e qualidade impecável de seus produtos, bem como por sua inabalável dedicação, devoção e comprometimento à comida irlandesa. Menção especial também foi dada aos produtores que adotaram práticas e técnicas sustentáveis.

Agora em seu 21º ano, o prêmio anual Irish Food Writers ’Guild (IFWG) Food Awards é um dos favoritos no calendário culinário irlandês. Os prêmios celebram produtores, organizações ou indivíduos locais, ao mesmo tempo que homenageiam os heróis que devotaram - e continuam a devotar - suas vidas para apoiar e promover a comida irlandesa.

Lizzie Gore-Grimes, presidente do IFWG, disse: “A origem dos alimentos e bebidas está se tornando um fator cada vez mais importante e influente para os consumidores, cada vez mais, estamos vendo 'local' e 'caseiro' como fatores-chave em sua tomada de decisão processo. Além disso, à medida que o conhecimento e o interesse dos consumidores na proveniência dos alimentos crescem, também aumenta a necessidade de transparência total por parte do produtor. Quanto mais forte for a história por trás da marca e quanto mais se souber de sua origem, maior será a conexão entre o consumidor e o produto.

“Todos os nossos vencedores estão hasteando a bandeira da proveniência alimentar este ano. Eles chegam ao mercado com produtos reais, autênticos e cheios de qualidade honesta. O sucesso silencioso desses sete vencedores se deve em grande parte à riqueza de seus produtos, à força de sua história e à paixão das pessoas por trás deles. O que pode ter começado como um trabalho de amor para os vencedores do prêmio agora está colhendo os frutos hoje. Todos os nossos vencedores são embaixadores maravilhosos da comida irlandesa, e estou certo de que eles continuarão sendo atores importantes na manutenção da reputação invejável da Irlanda no cenário internacional. ”

Os IFWG Food Awards são considerados os mais prestigiosos de seu tipo na Irlanda e são únicos, pois os membros da Guilda são os únicos órgãos de indicação e tomada de decisões.

The Guild apresentou sete prêmios em um evento que contou com a presença de alguns dos maiores nomes da comida irlandesa e realizado no muito celebrado l’Ecrivain Restaurant.

Os vencedores do prêmio IFWG Food de 2015 são Cork’s On the Pig’s Back, Skeaghanore Farm Fresh Ducks de Ballydehob e Wexford’s Wild About Foods. Um prêmio especial de bebida irlandesa foi concedido a Richmount Elderflower Cordial de Co Longford, enquanto Foods of Athenry recebeu o Prêmio Ambiental da Guilda, com a Guilda reconhecendo a integridade dos métodos de produção em sua linha de produtos ‘Livre de’.

Birgitta Curtin, da Burren Smokehouse, foi homenageada por sua notável contribuição à comida irlandesa, enquanto Veronica Molloy, da Crossogue Preserves, ganhou o Lifetime Achievement Award por sua dedicação ao cultivo em sua própria fazenda e pela inovação consistente de sua variedade de conservas irlandesas artesanais ao longo de 20 anos.

Os prêmios são apoiados por Bord Bia, que foi elogiado pelo Guild por seu apoio incansável à indústria alimentícia irlandesa, tanto na Irlanda quanto no exterior.

O Processo de Julgamento

  • Nenhuma empresa ou indivíduo pode se inscrever para esses prêmios.
  • Cada membro da Guilda é convidado a nomear produtos que eles acreditam serem dignos de um prêmio.
  • Os produtos devem ser produzidos na Irlanda e o ingrediente principal deve ser cultivado ou produzido na Irlanda.
  • O produtor deve estar comercializando há pelo menos três anos.
  • Os produtos são comprados e pagos e ocorre uma reunião formal de degustação onde os membros votam, por meio de representação proporcional.

O menu de Derry Clarke compreendia:


A vida na fazenda: ordenhando ovelhas, fazendo queijo. Parte 2

Minha viagem para a fazenda continuou & # 8230

Obrigado por voltar para ler a segunda parte do post do meu blog sobre minha viagem a La Moutonniere. Vamos continuar com o dia # 3 !!

Lucille, Coando Ricota Fresca!

Dia 3:
Acordei de novo, muito cedo para ir ao Fromagerie fazer queijo com Lucille. Hoje íamos terminar a Ricota iniciada na noite anterior e fazer o grampo Fromagerie, Bleu de la Moutonniere! Quando cheguei à fábrica, Lucille estava ocupada preparando o leite para fazer queijo e o barril de ricota estava sendo aquecido rapidamente. Assim que a cuba atingiu a temperatura desejada e borbulhou um pouco, era hora de retirá-la e coar. Foi incrível ver a coalhada branca como a neve flutuando sobre a cuba de soro de leite em excesso e saiu com um cheiro quente e salgado. Nós escavamos até que todo o tanque estivesse vazio e os grandes sacos de pano que Lucille mantinha abertos estivessem cheios como poderia estar!

Corte a coalhada para o Bleu de la Moutonniere!

O próximo passo foi fazer o Bleu de la Moutonniere. Este processo começou de forma semelhante ao dia anterior. Esperamos que o leite coagulasse e assim que isso acontecesse, a coalhada foi cortada. Então veio a primeira mudança na fabricação de queijos. Hoje, a coalhada foi cortada em pequenos cubos em vez de pequenas esferas irregulares. Fazer o queijo azul requer algumas mudanças em relação ao queijo firme que havíamos produzido no dia anterior. A coalhada é cortada em cubos maiores, depois arejada em uma grande bandeja e finalmente embalada em formas soltas, a fim de fornecer espaços onde o crescimento de fungos seja promovido. Depois que todo o tanque foi dissecado, tive acesso a um novo experimento. Uma nova máquina estava sendo testada para canalizar os cubos de coalhada, arejá-los ao longo de uma correia transportadora e colocá-los em moldes à espera. O experimento foi bem-sucedido na maioria das vezes, no entanto, alguns ajustes necessários nos fizeram voltar ao método manual.

Colher coalhada em moldes

Colocamos a enorme quantidade de requeijão em uma mesa forrada com tecido e, em seguida, colocamos a coalhada em formas. Assim que terminamos e limpamos, recebi a tarefa de virar e salgar o queijo que estava residindo na caverna de envelhecimento. Peguei uma colher de sopa de sal e esfreguei em cada um dos queijos prontos para virar! Depois de concluído, tudo o que restou foi a limpeza!

Dia 4:
No dia 4, trabalhei na fazenda com Al. Não há muitas informações novas para relatar sobre o dia, além de que me tornei um pouco mais proficiente em ordenhar ovelhas! Durante minha estada na fazenda, fiquei esperando para ver os cordeiros nascidos por qualquer uma das ovelhas grávidas do celeiro. Todas as manhãs e todas as noites, checávamos o cercado de ovelhas prontas para estourar e, a cada vez, ficava desapontado ao descobrir que nenhum cordeiro havia chegado. No dia 4, comecei a observar uma ovelha que parecia estar mostrando os sinais de trabalho que Al me disse para cuidar, como levantar para dar meia-volta, encontrar um local isolado e não mastigar feno como as outras ovelhas. Infelizmente, a ovelha não me apaziguou dando à luz um cordeiro, então adormeci sabendo que partiria na manhã seguinte e que seria minha última chance de ver um cordeiro nascer.

Dia 5:
Acordei com o sol forte e cedo e desci para o celeiro. Para minha empolgação, Al me disse que as ovelhas que eu estava observando no dia anterior realmente estavam para dar à luz. Ele foi até a ovelha para ajudá-la e, antes que eu percebesse, um cordeirinho (que era reconhecidamente de aparência nojenta) havia caído da ovelha & # 8211 literalmente caiu! Al deu uma olhada nas ovelhas e me informou que outra ovelha estava a caminho. Quando Al voltou ao trabalho, fiquei para assistir e vi as ovelhas darem à luz o segundo cordeiro sozinha. E assim senti que a minha viagem estava completa. Já fiz 3 tipos de queijo, ordenei ovelha, vi uma ovelha parir .. o que mais poderia pedir! E assim, depois de dizer Au Revoir, saí na estrada para dirigir as 7 horas para casa, pronto para contar a história da minha vida em uma fazenda para quem quisesse ouvir!

Obrigado a Al e Lucille por gentilmente me receberem e por realmente me deixarem sujar as mãos!


Em um palito de Ação de Graças? Sua resposta está a segundos de distância

Todos nós tropeçamos em perguntas no meio da preparação. Como faço para descongelar este peru mais rápido? Com o que misturo os sucos para fazer o molho? Quantas libras por pessoa devo planejar? Normalmente, minha mãe está pronta para responder a todos os meus alarmes de incêndio na cozinha, mas se você achar que precisa de uma resposta instantânea ou não quiser perguntar à mulher que o criou, palito de comida a partir de comida52 é um serviço de perguntas e respostas de alimentos em tempo real apoiado por uma comunidade de foodies apaixonados e experientes, prontos para compartilhar sua experiência e colocá-lo no caminho certo de preparação.

E se você é o único com todas as respostas, pode ganhar um prêmio de até $ 150 da Viking por ser o melhor colhedor de alimentos a cada semana!

MENSAGEM DE TEXTO
Agora você pode enviar mensagens de texto com suas perguntas para foodpickle! Basta enviar uma mensagem de texto SMS para 803-380-FOOD (3663) e enviar uma mensagem de texto para você responder imediatamente.

FOODPICKLE NO TWITTER
Tweet @foodpickle uma pergunta de qualquer lugar - seu fogão, o corredor do supermercado, um jantar. foodpickle irá @reply ou d.m. você as respostas.

Siga @foodpickle no Twitter para ver as perguntas e respostas à medida que aparecem.


25 de março de 2012

Eu deveria saber que ir ao Stellenbosch Slow Market em Oude Libertas ontem traria claustrofobia, sendo o mais cheio que eu já vi neste mercado popular, e um ao qual eu tinha jurado que nunca mais voltaria. O anúncio dos vencedores do 2012 Comer em Prêmio DStv Food Network Produce foi o motivo de minha visita e, depois de receber um exemplar da revista com os nomes dos vencedores e # 8217, e provar alguns de seus produtos, foi uma boa hora para partir.

Dada a paixão crescente pela preparação de alimentos, estimulada por programas de culinária como o MasterChef Australia e agora o nosso próprio Programa de culinária sul-africano na TV , assim como a recessão reduz a frequência de comer fora, a compra de produtos saudáveis ​​para usar e comer em casa está se tornando cada vez mais popular. Cinco anos atrás Comer em, publicação irmã de Comer fora, que apresenta o prêmio anual Top 10 Restaurant, foi lançado pela New Media Publishing. The magazine & # 8217s Awards & # 8216 pretendem reconhecer e celebrar os produtores sul-africanos independentes de destaque por sua integridade, paixão e inovação & # 8217. O critério crucial é que o produto seja cultivado na África do Sul, e os critérios adicionais foram que os produtos sejam produzidos de forma ética em termos de força de trabalho e de maneira ambientalmente responsável. Os vencedores foram julgados por Comer em o editor Anelde Greeff, Comer fora a editora Abigail Donnelly, o juiz da MasterChef SA Pete Goffe-Wood, a Hartford House Chef Jackie Cameron e o comprador de alimentos da Melissa & # 8217s Deon van Wyk, e são os seguintes:

* Melhor produto novo: Karma Jams de Kestell no Estado Livre, considerado & # 8216 uma das primeiras gamas de geléias sérias da África do Sul & # 8217

* Melhor pequeno produtor: Confeitaria: Sweet Temptations Toffee de Somerset West, que faz sabores de caramelo inovadores, como Blueberry e Pinotage, e é embalada em embalagens coloridas.

* Melhor Pequeno Produtor: Laticínios (Queijo): Buffalo Ridge de Wellington, premiado por seu & # 8216 sabores e texturas autênticas & # 8217, e seu & # 8216fenomenal & # 8217 Feta.

* Melhor Pequeno Produtor: Laticínios (Outros): Jenny & # 8217s Clotted Cream da Fazenda Langvallei Jersey em Robertson, premiado por seu & # 8216autêntico & # 8217 Creme coagulado à inglesa.

* Melhor Pequeno Produtor: Terra: Folhas de Salada Boon Hill por sua mistura incomum de flores comestíveis e folhas de salada.

* Melhor pequeno produtor: Mercearia: Picles de qualidade, premiados por seus sabores bem balanceados e aromáticos sem serem opressores

* Melhor Pequeno Produtor: Padaria: De Oude Bank Bakkerij em Stellenbosch, Fritz Schoon tendo desenvolvido uma reputação por seus excelentes pães artesanais rústicos

* Melhor Pequeno Produtor: Paddock: O Pato Dargle em Pietermaritzburg foi elogiado por seu patê de pato, salsichas e peitos.

* Prêmio Patrimônio da África do Sul: Vinagre Rozendal Farm de Stellenbosch, aromatizado com ervas interessantes, como buchu e abelhas.

* Prêmio de inovação: linha de chips de couve da Earthshine & # 8217s: uma variedade de chips veganos crus.

* Melhor produtor orgânico ou caipira: Frangos croft: elogiado por seu & # 8216bom pássaro de fazenda à moda antiga & # 8217 gosto, e vem de Natal Midlands

. Norte: açougue de Braeside. Pretoria Boeremark

. Leste: Piggly Wiggly, The Food Market

. Sul: Ocean & # 8217s Edge, Wild Oats

* Melhor blog de comida local: & # 8216My Easy Cooking & # 8217 por Nina Timm

A revista traz um calendário das safras de frutas e verduras e uma seleção de receitas. Ele também tem um artigo sobre & # 8216Compras éticas na África do Sul & # 8217, escrito por Claire Hu, sendo a compra de produtos feita com danos mínimos e benefício máximo. Ela levanta questões eticamente interessantes:

* Deve-se comprar em um supermercado ou loja local. A resposta é óbvia, devido ao efeito da pegada de carbono da entrega nas redes de supermercados, mas nem sempre é viável deixar de fazer compras no supermercado

* Comprar alimentos orgânicos é o ideal, mas ainda não existe um padrão nacional

* Carne caipira também é ideal, mas, mais uma vez, não há critérios aprovados pelo governo

* Comprar em mercados de alimentos é uma tendência crescente, que é favorável à pegada de carbono

* A acreditação do Comércio Justo para a produção de alimentos sustentáveis ​​ainda não está difundida, em comparação com a Europa

* Peixes aprovados pela SASSI devem ser a referência para todos os compradores

* A modificação genética do milho e da soja é amplamente difundida na África do Sul e seus efeitos na saúde ainda não são conhecidos. Não há rotulagem obrigatória de tais produtos.

* Pegada de carbono: os consumidores podem optar por comprar produtos com uma pegada de carbono mais baixa.

* A reciclagem deve ser incentivada na redução e separação de resíduos. Devem ser escolhidos produtos com embalagens mais leves, e deve-se trazer sua própria sacola de compras.

* Slow Food: esta organização internacional tem filiais na África do Sul, criando consciência sobre os benefícios de comer alimentos saudáveis ​​e evitar fast food.

Produtores de cerveja artesanal (Robson & # 8217s Beer, Triggerfish) e destilados aromáticos (Wilderer Distillery, Jorgensen & # 8217s Distillery) são destacados em um artigo, combinando com o que Comer em apoia. O restante da revista é uma lista regional de padarias, escolas de culinária, Deli & # 8217s e bancas de fazendas, fornecedores de peixes, fornecedores de frutas, vegetais e nozes, mercados, fornecedores de carnes e aves, fornecedores de produtos orgânicos e de saúde, doces e chá e fornecedores de café.


Lista de compras: equipamentos modernos para grelhados

Morar em um apartamento de seis andares acima do solo torna problemático ceder às agitações sazonais para acender a churrasqueira. Cercado por paredes, recorri em mais de uma ocasião ao uso de uma grelha de ferro fundido, que na verdade faz um trabalho adequado, exceto pela profusão de fumaça resultante. Apesar de um arranjo elaborado de vários ventiladores elétricos com a intenção de empurrar a escuridão para fora da janela da cozinha, isso nunca funciona realmente, e eu acabo desistindo de grelhar em ambientes fechados até que a vontade me atinja novamente.

Fico com uma inveja especial para aqueles que têm apenas alguns centímetros de espaço ao ar livre para criar uma superfície de fogo para Pollo al Mattone ou mesmo favas frescas.

Isso me leva ao equipamento de grelhar, que tem uma atração peculiar, especialmente porque não tenho uso para ele.

Em uma visita recente à Terence Conran Shop, lar de produtos ultramodernos e caros para o lar. A loja, embaixo da ponte Queensboro, tem uma grande seleção de utensílios de cozinha e talheres superelegantes, sem falar nas ferramentas para grelhar.

Como um espião de churrasco, o portátil Picnic Grill (acima à esquerda) da Sagaform dobra-se na forma de uma pasta. Também gostei do design simples deste Bucket Grill (acima à direita), feito também pela Sagaform, que é fabricado em verde, cromo e cáqui, além de preto.

Embora eu nunca tenha achado o calor de uma grelha tão intenso que não pudesse arriscar temperá-lo de perto, este saleiro e pimenteiro de churrasco, à direita, parecia engenhoso. Projetado pela Viceversa, o cabo longo da ferramenta se estende a um recipiente de duas cabeças para polvilhar sal e pimenta.

Enquanto o saleiro e pimenteiro de churrasco não está disponível para compra online, o Picnic Grill e Bucket Grill (em preto) estão disponíveis na loja virtual The Conran Shop.

Fotos: Sagaform, Vice Versa.


O evento de comida de fogo mais popular do planeta está de volta neste fim de semana no Brooklyn Expo Center.

Trazido a você por High River Sauces e o homem por trás do evento, Steve Seabury, o who’s who in hot sauce estará presente.

Prêmios e Concursos

Alguns dos melhores artesãos artesãos estarão provando seus produtos, enquanto o evento em si irá desencadear uma programação completa de entretenimento que inclui a Cerimônia de Indução do Hall da Fama do Molho Quente 2016, a apresentação anual do Prêmio Screaming Mi Mi, outro Guinness Book Of World Grava Carolina Reaper Challenge do próprio Smokin 'Ed Currie de Puckerbutt, e o Defcon Deathmatch está de volta após um hiato de um ano.

E o único concurso de comer comida que faz parte da Expo desde o seu início, o Volcanic Peppers & # 038 Grimaldi’s Fiery Pizza Challenge é mais uma vez apresentado por Al & # 8220Buddah & # 8221 Goldenberg e ILoveItSpicy.com.

Um grande agradecimento vai para a Pizzeria Grimaldi e Tim Bader, parceiro de pizza Buddah & # 8217s e o homem por trás do calor que manteve este concurso vivo nos últimos 4 anos. Muito animado se o atual campeão Wayne Algenio se repetir como campeão ou se John Andrews voltar à sua forma de primeiro ano e levar de volta o troféu de pizza!

Aqui está o Campeão, Wayne posando com seu troféu

O horário

23 de abril e # 8211 sábado

12h00 & # 8211 Torch Bearer Sauces & # 8217 Guacamole Eating Contest

13h - Defcon Sauces & amp Bird Dog Whisky apresenta competição de comer asas de frango

14h - Cerimônia de introdução no Hall da Fama do Molho Quente

15h - Apresentação do Screaming Mi Mi Awards

16h - El Jimador e caixa de coquetéis com margarita mix-down

17h - Concurso de Comer Pizza Grimaldi e # 8217s

24 de abril e # 8211 domingo

12h e # 8211 Jersey Barn Fire - Great Balls of Fire - Spicy Meatball Challenge

1 PM – Cold Spell Whiskey & Heartbreaking Dawns – Spicy Taco Eating Challenge

2 PM – High River Sauces – Burrito Eating Challenge

3 PM – Stoli & Murphs Bloody Mix Present The Bloody Mary Mix-Down West Coast vs East Coast – National Championship!

5 PM – Puckerbutt Pepper Company Presents The Guinness World Record – Smokin’ Ed’s Reaper Eating Challenge

The Screaming Mi Mi Awards

It was just announced that both Blair Lazar and Marie Sharp will be at the ceremony to meet and greet with the public and to take pictures with their new Hall of Fame rings and custom red jackets.

The 2016 Screaming Mi Mi Award Categories

Hot Sauce Categories:
Asian Style
Caribbean Style
Louisiana Style
Chipotle
Fruit Based
Fruit Based Hot Habanero
Pimenta jalapeno
Pepper Blend
XXX Hot Sauce (Non Extract)
Best Hot Sauce Label Artwork

Additional Categories:

ASA de galinha
Spicy BBQ
Spicy Salsa

The Screaming Mi Mi Awards will be done live right after the Hall of Fame Ceremony is concluded. The results will be posted on ILoveItSpicy.com right after the ceremony is completed around 4pm est.

We’ll be there! Você poderia? Leave a Comment below. Maybe we can meet up!


Penne with Tomatoes, West Cork Chorizo and Desmond Cheese

This is a fantastic year for fruit – the best for maybe 10 years. In the orchard the trees are groaning with fruit, there’s a huge crop of apples and plums and although the pears are not quite as abundant there’s still a terrific crop.

We picked our first Beauty of Bath a few weeks ago, this variety more than any other reminds me of my childhood. Almost every family had a few apple trees, as children we knew exactly where the best apples were and where to clamber over the wall into our neighbour’s orchard. My first bite of that bittersweet apple with its red and yellow speckled skin brought memories flooding back.

Grenadier is the earliest cooker to ripen. We have already had some grenadier apple sauce with some of our oven succulent roast pork. The pigs are Saddleback and Tamworth crossed with red Duroc for good measure. The flavour of the meat from these happy lazy pigs is sublime. These breeds have a decent layer of fat, which renders out to baste the meat while the skin crisps into the most irresistible crackling. The pigs adore snuffling around under the apple trees to find wind falls – we joke that they then come with built in apple sauce! Plum sauce is also delicious with pork, duck, even a goose – in fact now is the time to order a plump goose for Michaelmas and have a Thanksgiving feast.

But what to do with the surplus, I’m always desperate to store some Brambly apples for winter tarts and pies. This year I have plans to spread them out in a single layer on fruit trays in a cool shed. We’ll stack the recycled boxes so the air can circulate. I’m racking my brains to try to remember how it was done years ago “in life before electricity”. Perhaps some of the readers can share their tips with me. I certainly remember our old gardener Pad digging a long shallow pit to store cooking apples. I must have been tiny, 3 or 4 when I helped him to select unblemished cooking apples. I seem to recollect that the pit was lined with straw and then covered with a good layer of soil then covered with an old mat

Nowadays, almost everyone has a freezer, so make as much stewed or apple puree as you can manage. It can be used not only for sauce but also in crumbles and tarts in winter. The flavour is immeasurably better than the under mature Brambly available in the shops. Have you noticed how they don’t break like the homegrown apples that are picked when they are properly matured. Apple juice is another option – you’ll need to buy a centrifuge, Krups, Magimix, Kenwood and other manufacturers have models worth investing in (you can also use the centrifuge to make a variety of other fruit and vegetable juices.

Chutneys are another delicious way of preserving surplus fruit and vegetables, there are a myriad of recipes, try this Spicy Apple Chutney and then start to experiment yourself.

Plums, greengages or pears poached in a sweet geranium or even a simple syrup is completely delicious and freeze brilliantly – a terrific standby pudding to have in the freezer. Store them in smallish plastic tubs so that they can be defrosted easily. Meanwhile feast on as many apples, plums and pears as you can for breakfast, lunch and dinner and build up your stock of vitamins to guard against winter colds – remember to old adage “An apple a day keeps the doctor away”.


Christmas recipes: turkey and some of the trimmings

In 2009 I wrote down my pudding, cake and mincemeat recipes. This year I’ve decided to write about turkey, stuffings and cranberry sauce. Sometimes we have a goose at Christmas, sometimes turkey. A number of people have told me recently that goose is more traditional than turkey, but it is an enormous turkey which features in the closing scenes of Charles Dickens’ “A Christmas Carol” and you can’t get more traditional than that in my book.

I’ve done terrible things to turkeys over the years tending to over- rather than undercook them. Worst of all was when I took someone’s advice to put the turkey into the Aga simmering oven and leave it to cook overnight for 12 + hours. The turkey was cooked alright but swimming in a bath of caramel brown juice that should have been retained within the bird – the most wasteful turkey stock ever…

Since I discovered the slightly odd method suggested in “Leith’s Cookery Bible” of draping over the stuffed bird before it goes into the oven a folded piece of muslin soaked in an unfeasible quantity of melted butter, I’ve never looked back. Doing this and investing in a decent meat thermometer, I really don’t think you can go wrong.

This method produces a moist, perfectly cooked turkey with a deep burnished gold skin:

Family Christmases when I was growing up always involved a turkey with two different stuffings – sage and onion and chestnut and sausagemeat. When we have turkey now, that’s how it still has to be. Preparing the stuffings on Christmas eve was a family affair (although when I say family I mean the women in the family…) Tiny Auntie Em would always boil and chop the onions for the sage and onion stuffing but my mother would take charge of the chestnut and sausagemeat one. My mother was a fantastic but instinctive cook so never wrote her recipes down. I learned by watching and tasting. I have made the sage and onion stuffing recipe my own over time preferring now to fry rather than boil the onions and adding a handful of
oatmeal really lifts the texture of the stuffing and stops it being too stodgy.

I found my cranberry sauce recipe in a pre Christmas newspaper article written by Simon Hopkinson. The brown sugar, port and orange zest add fantastic flavour and fill the kitchen with wonderful scents as the sauce cooks. I treasure this recipe and am now very happy to have set it down in writing as it currently exists as a single brown stained piece of newsprint. I got very, very twitchy one year when I couldn’t find it.

Recipe for perfect roast turkey

Adapted from a recipe in “Leith’s Cookery Bible”. Serve 12 porções

1 turkey unstuffed weight 10-13lb/5-6kg
1 recipe sage and onion stuffing
1 recipe chestnut and sausagemeat stuffing
1 large square fine muslin about 4 times the size of the turkey
6 oz butter

Stuff the cavity of the turkey with some of the sage and onion stuffing. Stuff the neck end of the turkey with the chestnut and sausagemeat stuffing. Draw the skin flap down to cover the stuffing and secure with a skewer. Weigh the stuffed turkey and calculate the cooking time. Put any leftover stuffing into a shallow greased baking dish and bake at 180 degrees C for 45 minutes or so until cooked through and crusty on top.

Preheat the oven to 180 degrees C/350 degrees F/gas mark 4. Melt the butter and in it soak the piece of muslin until all the butter has been absorbed.

Completely cover the bird with the doubled butter muslin and roast in the preheated oven for the calculated time – a 12lb/5.35kg turkey should take 3 to 3 and 3/4 hours.

I roast my turkey in the roasting oven of a two oven Aga on the lowest set of runners. The oven has quite a high temperature, 200 degrees C at the bottom, higher at the top, so the bird cooks a little more quickly. I turn it round after an hour or so to ensure it cooks evenly.

Other than this, there’s no need to turn, baste change the temperature, just leave it to do its thing in the oven.

I use a meat thermometer to make sure the turkey is cooked through, removing it from the oven when the internal temperature is 10 degrees C below the temperature I’m looking for (ie I take it out at 72 degrees C) degrees C). As the bird rests, the internal temperature rises to the required 82 degrees C.

A long resting time (at least 1 hour, in fact up to 2 hours for a good sized turkey) will ensure the bird is easy to carve and gives you time to prepare the gravy, finish the vegetables, and generally have a more relaxing time.

Recipe for sage and onion stuffing

2 onças de manteiga
3 medium onions, finely chopped
15-20 fresh medium sized sage leaves, finely shredded
12 oz fresh white breadcrumbs
4 oz medium oatmeal
sal e pimenta-do-reino moída na hora

Melt the butter in a large frying pan. Fry the onion until translucent but not browned. Stir in the breadcrumbs, sage and seasoning to taste.

Recipe for chestnut and sausagemeat stuffing

2 medium onions, finely chopped
1 tablespoon light olive oil
1 and 1/2 lb of your favourite sausagemeat
1 lb cooked peeled chestnuts (I like Merchant Gourmet vacuum packed chestnuts)
1 beaten egg
sal e pimenta-do-reino moída na hora

Fry the onions in the oil in a small frying pan until tranlucent. Legal. Roughly mash the chestnuts with a fork. Combine the cooled cooked onions, sausagemeat, mashed chestnuts, a teaspoon of salt and a couple of twists of black pepper in a large bowl. Add the beaten egg and go in with your hands to mix and combine all the ingredients. Don’t try and taste this to check seasoning as it contains raw sausagemeat.

Recipe for cranberry sauce

8oz (200g) brown sugar (demerara or light soft brown or even golden granulated)
1/2 pint (1/4 litre) port – ruby or LBV is fine, don’t use your best stuff for cooking
12 oz (340g) cranberries, rinsed and drained
grated zest of 2 oranges

Put the sugar and port into a medium non-reactive (stainless steel or enamelled cast iron) saucepan. Mix well and bring to the boil over a gentle heat, stirring from time to time until the sugar is dissolved. Add the cranberries and orange zest and simmer until the skins of the cranberries have burst. Be careful not to overcook at this stage as otherwise you’ll get a rubber set.


Greenwashing in the Natural Sunscreen Space

Greenwashing is something that unfortunately happens frequently in the natural skincare space and sunscreens aren’t excluded. The term “greenwashing” refers to falsely portraying a product as natural, chemical-free, or environmentally-friendly. (17) A lot of “natural” sunscreens are anything but. You can read more about greenwashing in this article.

Speaking of greenwashing, there’s a new ingredient that’s been introduced to the “clean” sunscreen market. It’s called Butyloctyl Salicylate (BOS). You may have already seen it while reading labels. It’s in the same category as “chemical” sunscreen active ingredients and it’s added to increase the SPF without making the sunscreen more white. (18) Brands will list it in the “inactive ingredients” section of the product label, so you won’t see it alongside the Zinc Oxide.

BOS is not an approved sunscreen ingredient by the FDA in the United States. So we have to wonder, “Is it safe?” In Australia, the Therapeutical Goods Administration under the Department of Health determined that BOS should not be used in:

  • Children under 4 years of age
  • The last trimester of pregnancy
  • Those who have salicylate sensitivity
  • Asthma patients

Products containing BOS cannot have a concentration over 1%. (19)

With all the greenwashing that occurs these days, it can be difficult to find a company and product line you can trust.


Monday, September 20, 2010

Smoked Hamburgers via Indirect Grilling Technique

It's week two of the NFL regular season and I finished my second "tailgate grilling session" of the year. Last time I cooked ABTs. This time I stuck to the tried and true backyard bbq favorite. hamburgers. But, I put my own twist on grilled hamburgers.

I didn't really follow the directions on the Miner's Mix (TM) package. Half the fun of bbq for me is the trial and error experimentation that goes along with it.

I cooked these on my Weber Platinum charcoal kettle grill using the charcoal "triangles" on either side of the cooking chamber. This provides reliable and controllable indirect heat in your kettle grill.

Starr Pass Barbeque Classic - October 29-30

I received this bbq contest announcement in my e-mail today.

Tucson, AZ (9/1/10) – JW Marriott Starr Pass Resort & Spa today announced the first annual Starr Pass Barbeque Classic taking place October 29-30, 2010. The weekend of fun and finger-lickin’ food will pit top barbeque teams from across the country competing to win the inaugural event as well as featuring drinks, family games and more. Fully sanctioned and judged by the Kansas City Barbeque Society (KCBS) and AZ Barbeque, this event promises to be the first of its kind in Southern Arizona .

“We’re thrilled to host the Starr Pass Barbeque Classic,” said Starr Pass Executive Chef, Chris Brown. Brown is the mastermind behind the event and, being a KCBS award-winning barbeque pit master himself, he wanted to bring an event of this caliber to Southern Arizona . “It’s been a dream of mine to help bring a world-class event like this to Tucson and now it’s a reality. From the competition and grilling to the fun-filled activities, there’s truly something for everyone. The event also allows us a fantastic opportunity to give back to our local community.”

Some of the finest competitive barbeque teams in the country will make their way to Tucson to fire up their savory, saucy specialties and compete for a share of $10,000 in cash and prizes. Among the competitors is multiple-grand-championship-winner Harry Soo and his Slap Yo’ Daddy BBQ team. Teams will be competing in several categories including chicken, pork, pork ribs and beef brisket. Fans who want to get closer to the action can sign up for Thursday night’s KCBS-certified judging class to learn the official rules, regulations and tasting tips employed by the Kansas City Barbeque Society. The class costs $55 for KCBS members and $90 for non-KCBS members and includes food as well as a year’s membership to KCBS.

In addition to the prizes, teams will compete for a much bigger cause. The Special Olympics will sponsor the event and a portion of the proceeds will go directly to the organization and its mission of encouraging and empowering people with intellectual disabilities, promoting acceptance for all and fostering communities of understanding and respect worldwide.

As well as the main BBQ competition on Saturday, there will be Dessert, “Anything Butt” and BBQ Appetizer Contests on Friday. Throughout the weekend, visitors will enjoy a bevy of goodies including samples of competition BBQ, a free slider sandwich meal from Catalina Barbeque Co. & Sports Bar, live bands, live chef demonstrations, vendors, Halloween-themed games and trick-or-treating for the kids, a family fun area, and much more. Tickets for the event are $45 each and kids 12 and under get in free!

For barbeque fanatics and families who want to enjoy a full weekend of food and fun, the JW Marriott Starr Pass has rolled out special room rates exclusively for event attendees. Packages include:


Assista o vídeo: Ecuadorian McDonalds Taste Test (Janeiro 2022).