Receitas tradicionais

Família de Obama janta em restaurante local em Havana

Família de Obama janta em restaurante local em Havana

O restaurante sabia que receberia um VIP, mas não sabia que seria a Primeira Família

San Cristóbal Paladar é um popular restaurante familiar que é co-propriedade do governo.

Durante a visita fundamental do presidente Obama a Cuba, ele e sua família fizeram uma visita ao popular restaurante familiar San Cristóbal Paladar.

Paladares, restaurantes co-propriedade de famílias cubanas e do governo, é uma instituição recentemente aprovada pelo governo cubano no âmbito de reformas econômicas que incentivam os pequenos negócios, de acordo com NewsBusters. Os proprietários têm de pagar uma taxa ao governo para manter seus negócios.

O presidente comeu ‘solomillo a la plancha’, ou bife na grelha, bem cozido com legumes. Michelle Obama comeu bife fatiado e vinho, e suas filhas comeram bife e porco. Quando o garçom ofereceu vinho ao presidente, ele disse: “Não, não, tenho que trabalhar amanhã”, relata WSVN.

Outros notáveis ​​VIPs que visitaram o restaurante são Beyoncé e Jay-Z, que jantaram lá durante uma visita ao país em 2013, de acordo com Comedor.


Refeições na Casa Branca sob Trump vs. Obama mostra dois gostos dramaticamente diferentes

Das diferenças em seu tom geral e comportamento, às suas políticas políticas preferidas, Donald Trump e Barack Obama são dois presidentes dramaticamente diferentes. Em muitos sentidos, essas diferenças são totalmente aparentes a olho nu. Mas outros colapsos, como as refeições na Casa Branca por Trump x Obama, oferecem uma análise mais sutil de quão diferentes os dois homens realmente são.

De acordo com um relatório de dezembro de 2018 por O jornal New York Times, a Casa Branca passou por mudanças significativas na esfera culinária sob o mandato de Trump - e em mais de uma maneira. Para começar, existem apenas as preferências alimentares relatadas do próprio presidente: embora Obama gostasse de comer fora, Trump aparentemente raramente janta em estabelecimentos públicos de D.C.

Em vez disso, Trump prefere comer na Casa Branca, O jornal New York Times notas adicionais e suas preferências de refeição não poderiam estar mais longe das de Obama. Enquanto a cozinha da Casa Branca preparava couve de Bruxelas e shakshuka (um prato marroquino à base de ovo) sob os olhos de Obama, de acordo com o canal, agora ela produz bolo de carne e sorvete para o atual presidente.

As papilas gustativas de Trump têm chamado a atenção repetidamente desde que ele foi eleito presidente. Ele comeu um bife cozido demais com ketchup em sua primeira refeição como presidente, de acordo com The Washington Post, e foi aberto sobre sua inclinação por fast food no passado.

Na verdade, um mês de novembro de 2017 Político relatório detalhado do amor de Trump por um quarto de libra com queijo do McDonald's - especificamente, sem pickles e ketchup extra. Ele amou tanto a refeição, relatou a publicação, que ocasionalmente mandava um ajudante ir buscá-la, porque a cozinha da Casa Branca não conseguia deixá-la do jeito que ele queria. Embora Obama tenha um amor documentado por cheeseburgers e refeições rápidas ocasionais, ele afirmou em entrevistas que sua comida favorita são os brócolis.

Não está totalmente claro se os gostos de Trump mudaram desde que assumiu o cargo. Um relatório da Bloomberg de março de 2018 afirmou que POTUS alterou radicalmente sua dieta após seu exame físico presidencial em janeiro de 2018. Uma coisa é certa, porém: Trump ainda detém um lugar especial em seu coração para fast food, uma vez que ele solicitou um jantar banquete repleto disso quando a Casa Branca deu as boas-vindas ao time de futebol americano Clemson em janeiro de 2019, para comemorar sua vitória no campeonato da NCAA.

Especificamente, por O Nova-iorquino, o banquete bufê incluía refeições do McDonald's, Wendy's, Burger King e muito mais. Fotos de jovens atletas enchendo seus pratos com fast food na Casa Branca rapidamente se tornaram virais. Mais tarde, Trump tweetou que ele mesmo pagou pelo jantar, por causa da paralisação do governo na época.

A comparação entre as preferências dietéticas de Trump e Obama não se trata apenas do que eles escolhem comer pessoalmente e oferecem aos hóspedes da Casa Branca. Também tem a ver com a forma como as administrações usam os alimentos para unificar as comunidades e reduzir a divisão com outras culturas. O jornal New York Times relata que, embora a Casa Branca de Obama frequentemente contasse com chefs locais, o governo Trump não prioriza mais esse esforço.

Victor Albisu, chef local dono dos restaurantes Poca Madre e Taco Bamba e que costumava cozinhar na Casa Branca para Obama e George W. Bush, disse que O jornal New York Times em 2018, “Não cozinhei para ninguém na administração [Trump]. É um momento de polarização para as pessoas, e uma mesa cheia de comidas e bebidas é o lugar para deixar de lado essas diferenças. Acho que isso foi uma perda líquida para todos. ”

O novo estilo culinário de Trump começou a se espalhar para os programas de merenda escolar em todo o país. De acordo com The Washington Post, o Departamento de Agricultura dos EUA anunciou suas intenções de lançar cardápios de merenda escolar embalados com mais sal e menos grãos inteiros em dezembro de 2018.

O secretário Sonny Perdue disse sobre a mudança proposta para The Washington Post, “Se as crianças não comem o que está sendo servido, não estão se beneficiando e a comida está sendo desperdiçada. & Quot

Então, em janeiro de 2020, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos propôs outra rodada de regras, que permitiria às escolas reduzir a quantidade necessária de vegetais e frutas para almoços e cafés da manhã e, simultaneamente, expandir seu direito de vender pizza, hambúrgueres e batatas fritas para os alunos em vez de. Por The Washington Post, essas novas propostas também permitiriam outras mudanças, incluindo permitir que as escolas ofereçam uma batata como legume obrigatório todos os dias. Essas alterações de regras propostas foram enviadas ao Federal Register em 23 de janeiro e estarão abertas para comentários do público por 60 dias.

Independentemente da pessoa que ocupa atualmente o cargo mais importante na Casa Branca, os chefs presidenciais disseram no passado que o trabalho geralmente é bastante variado. Bill Yosses, proprietário de um restaurante e ex-chef de confeitaria da Casa Branca de 2006-2014, disse ao The Huffington Post: "É como ser um chef de hotel, um chef particular e um chef de restaurante em um só lugar. & Quot

Ele explicou, & quotVocê está preparando café da manhã, almoço e jantar para uma família particular. Você poderia estar fazendo um menu de degustação de jantar requintado com 5-6 pratos, ou você pode ter tantas pessoas passando é como ser um chef de banquete em um hotel. ”

Embora Yosses não tenha cozinhado para Trump, ele compartilhou algumas informações privilegiadas sobre o que os Obama adoravam comer para satisfazer os desejos de doces durante seu tempo na Casa Branca. “Os Obama adoravam todos os tipos de torta”, disse ele ao The Huffington Post. “Torta de frutas no verão, torta de banana, torta de creme de Boston, era isso que eles adoravam. & Quot


Refeições na Casa Branca sob Trump vs. Obama mostra dois gostos dramaticamente diferentes

Das diferenças em seu tom geral e comportamento, às suas políticas políticas preferidas, Donald Trump e Barack Obama são dois presidentes dramaticamente diferentes. Em muitos sentidos, essas diferenças são totalmente aparentes a olho nu. Mas outros colapsos, como as refeições na Casa Branca por Trump x Obama, oferecem uma análise mais sutil de como os dois homens realmente são diferentes.

De acordo com um relatório de dezembro de 2018 por O jornal New York Times, a Casa Branca passou por mudanças significativas na esfera culinária sob o mandato de Trump - e em mais de uma maneira. Para começar, existem apenas as preferências alimentares relatadas do próprio presidente: embora Obama gostasse de comer fora, Trump aparentemente raramente janta em estabelecimentos públicos de D.C.

Em vez disso, Trump prefere comer na Casa Branca, O jornal New York Times notas adicionais e suas preferências de refeição não poderiam estar mais longe das de Obama. Enquanto a cozinha da Casa Branca preparava couve de Bruxelas e shakshuka (um prato marroquino à base de ovo) sob os olhos de Obama, de acordo com o canal, agora ela produz bolo de carne e sorvete para o atual presidente.

As papilas gustativas de Trump têm chamado a atenção repetidamente desde que ele foi eleito presidente. Ele comeu um bife cozido demais com ketchup em sua primeira refeição como presidente, de acordo com The Washington Post, e foi aberto sobre sua inclinação por fast food no passado.

Na verdade, um mês de novembro de 2017 Político relatório detalhado do amor de Trump por um quarto de libra com queijo do McDonald's - especificamente, sem pickles e ketchup extra. Ele amou tanto a refeição, relatou a publicação, que ocasionalmente mandava um ajudante ir buscá-la, porque a cozinha da Casa Branca não conseguia deixá-la do jeito que ele queria. Embora Obama tenha um amor documentado por cheeseburgers e refeições rápidas ocasionais, ele afirmou em entrevistas que sua comida favorita são os brócolis.

Não está totalmente claro se os gostos de Trump mudaram desde que assumiu o cargo. Um relatório da Bloomberg de março de 2018 afirmou que POTUS alterou radicalmente sua dieta após seu exame físico presidencial em janeiro de 2018. Uma coisa é certa, porém: Trump ainda detém um lugar especial em seu coração para fast food, uma vez que ele solicitou um jantar banquete repleto disso quando a Casa Branca deu as boas-vindas ao time de futebol americano Clemson em janeiro de 2019, para comemorar sua vitória no campeonato da NCAA.

Especificamente, por O Nova-iorquino, o banquete bufê incluía refeições do McDonald's, Wendy's, Burger King e muito mais. Fotos de jovens atletas enchendo seus pratos com fast food na Casa Branca rapidamente se tornaram virais. Mais tarde, Trump tweetou que ele mesmo pagou pelo jantar, por causa da paralisação do governo na época.

A comparação entre as preferências dietéticas de Trump e Obama não se trata apenas do que eles escolhem comer pessoalmente e oferecem aos hóspedes da Casa Branca. Também tem a ver com a forma como as administrações usam os alimentos para unificar as comunidades e reduzir a divisão com outras culturas. O jornal New York Times relata que, embora a Casa Branca de Obama frequentemente contasse com chefs locais, o governo Trump não prioriza mais esse esforço.

Victor Albisu, chef local dono dos restaurantes Poca Madre e Taco Bamba e que costumava cozinhar na Casa Branca para Obama e George W. Bush, disse que O jornal New York Times em 2018, “Não cozinhei para ninguém na administração [Trump]. É um momento de polarização para as pessoas, e uma mesa cheia de comidas e bebidas é o lugar para deixar de lado essas diferenças. Acho que isso foi uma perda líquida para todos. ”

O novo estilo culinário de Trump começou a se espalhar para os programas de merenda escolar em todo o país. De acordo com The Washington Post, o Departamento de Agricultura dos EUA anunciou suas intenções de lançar cardápios de merenda escolar embalados com mais sal e menos grãos inteiros em dezembro de 2018.

O secretário Sonny Perdue disse sobre a mudança proposta para The Washington Post, “Se as crianças não comem o que está sendo servido, não estão se beneficiando e a comida está sendo desperdiçada. & Quot

Então, em janeiro de 2020, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos propôs outra rodada de regras, que permitiria às escolas reduzir a quantidade necessária de vegetais e frutas para almoços e cafés da manhã e, simultaneamente, expandir seu direito de vender pizza, hambúrgueres e batatas fritas para os alunos em vez de. Por The Washington Post, essas novas propostas também permitiriam outras mudanças, incluindo permitir que as escolas ofereçam uma batata como legume obrigatório todos os dias. Essas alterações de regras propostas foram submetidas ao Federal Register em 23 de janeiro e estarão abertas para comentários do público por 60 dias.

Independentemente da pessoa que ocupa atualmente o cargo mais importante na Casa Branca, os chefs presidenciais disseram no passado que o trabalho geralmente é bastante variado. Bill Yosses, proprietário de um restaurante e ex-chef de confeitaria da Casa Branca de 2006-2014, disse ao The Huffington Post: "É como ser um chef de hotel, um chef particular e um chef de restaurante em um só lugar. & Quot

Ele explicou, & quotVocê está preparando café da manhã, almoço e jantar para uma família particular. Você poderia estar fazendo um menu de degustação de jantar requintado com 5-6 pratos, ou você pode ter tantas pessoas assistindo é como ser um chef de banquete em um hotel. ”

Embora Yosses não tenha cozinhado para Trump, ele compartilhou algumas informações privilegiadas sobre o que os Obama adoravam comer para satisfazer os desejos de doces durante seu tempo na Casa Branca. “Os Obama adoravam todos os tipos de torta”, disse ele ao The Huffington Post. “Torta de frutas no verão, torta de banana, torta de creme de Boston, era isso que eles adoravam. & Quot


Refeições na Casa Branca sob Trump vs. Obama mostra dois gostos dramaticamente diferentes

Das diferenças em seu tom geral e comportamento, às suas políticas políticas preferidas, Donald Trump e Barack Obama são dois presidentes dramaticamente diferentes. Em muitos sentidos, essas diferenças são totalmente aparentes a olho nu. Mas outros colapsos, como as refeições na Casa Branca por Trump x Obama, oferecem uma análise mais sutil de como os dois homens realmente são diferentes.

De acordo com um relatório de dezembro de 2018 por O jornal New York Times, a Casa Branca passou por mudanças significativas na esfera culinária sob o mandato de Trump - e em mais de uma maneira. Para começar, existem apenas as preferências alimentares relatadas do próprio presidente: embora Obama gostasse de comer fora, Trump aparentemente raramente janta em estabelecimentos públicos de D.C.

Em vez disso, Trump prefere comer na Casa Branca, O jornal New York Times notas adicionais e suas preferências de refeição não poderiam estar mais longe das de Obama. Enquanto a cozinha da Casa Branca preparava couve de Bruxelas e shakshuka (um prato marroquino à base de ovo) sob os olhos de Obama, de acordo com o canal, agora ela produz bolo de carne e sorvete para o atual presidente.

As papilas gustativas de Trump têm chamado a atenção repetidamente desde que ele foi eleito presidente. Ele comeu um bife cozido demais com ketchup em sua primeira refeição como presidente, de acordo com The Washington Post, e foi aberto sobre sua inclinação por fast food no passado.

Na verdade, um mês de novembro de 2017 Político relatório detalhado do amor de Trump por um quarto de libra com queijo do McDonald's - especificamente, sem pickles e ketchup extra. Ele amou tanto a refeição, relatou a publicação, que ocasionalmente mandava um ajudante ir buscá-la, porque a cozinha da Casa Branca não conseguia deixá-la do jeito que ele queria. Embora Obama tenha um amor documentado por cheeseburgers e refeições rápidas ocasionais, ele afirmou em entrevistas que sua comida favorita são os brócolis.

Não está totalmente claro se os gostos de Trump mudaram desde que assumiu o cargo. Um relatório da Bloomberg de março de 2018 afirmou que POTUS alterou radicalmente sua dieta após seu exame físico presidencial em janeiro de 2018. Uma coisa é certa, porém: Trump ainda detém um lugar especial em seu coração para fast food, uma vez que ele solicitou um jantar banquete repleto disso quando a Casa Branca deu as boas-vindas ao time de futebol americano Clemson em janeiro de 2019, para comemorar sua vitória no campeonato da NCAA.

Especificamente, por O Nova-iorquino, o bufê de banquete incluiu refeições do McDonald's, Wendy's, Burger King e outros. Fotos de jovens atletas enchendo seus pratos com fast food na Casa Branca rapidamente se tornaram virais. Mais tarde, Trump tweetou que ele mesmo pagou pelo jantar, por causa da paralisação do governo na época.

A comparação entre as preferências dietéticas de Trump e Obama não se trata apenas do que eles escolhem comer pessoalmente e oferecem aos hóspedes da Casa Branca. Também tem a ver com a forma como as administrações usam os alimentos para unificar as comunidades e reduzir a divisão com outras culturas. O jornal New York Times relata que, embora a Casa Branca de Obama frequentemente contasse com chefs locais, o governo Trump não prioriza mais esse esforço.

Victor Albisu, chef local dono dos restaurantes Poca Madre e Taco Bamba e que costumava cozinhar na Casa Branca para Obama e George W. Bush, disse que O jornal New York Times em 2018, “Não cozinhei para ninguém na administração [Trump]. É um momento de polarização para as pessoas, e uma mesa cheia de comidas e bebidas é o lugar para deixar de lado essas diferenças. Acho que isso foi uma perda líquida para todos. ”

O novo estilo culinário de Trump começou a se espalhar para os programas de merenda escolar em todo o país. De acordo com The Washington Post, o Departamento de Agricultura dos EUA anunciou suas intenções de lançar cardápios de merenda escolar embalados com mais sal e menos grãos inteiros em dezembro de 2018.

O secretário Sonny Perdue disse sobre a mudança proposta para The Washington Post, “Se as crianças não comem o que está sendo servido, elas não se beneficiam e a comida está sendo desperdiçada. & Quot

Então, em janeiro de 2020, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos propôs outra rodada de regras, que permitiria às escolas reduzir a quantidade necessária de vegetais e frutas para almoços e cafés da manhã e, simultaneamente, expandir seu direito de vender pizza, hambúrgueres e batatas fritas para os alunos em vez de. Por The Washington Post, essas novas propostas também permitiriam outras mudanças, incluindo permitir que as escolas ofereçam uma batata como legume obrigatório todos os dias. Essas alterações de regras propostas foram submetidas ao Federal Register em 23 de janeiro e estarão abertas para comentários do público por 60 dias.

Independentemente da pessoa que ocupa atualmente o cargo mais importante na Casa Branca, os chefs presidenciais já disseram que o trabalho costuma ser bastante variado. Bill Yosses, proprietário de um restaurante e ex-chef de confeitaria da Casa Branca de 2006-2014, disse ao The Huffington Post: "É como ser um chef de hotel, um chef particular e um chef de restaurante em um só lugar. & Quot

Ele explicou, & quotVocê está preparando café da manhã, almoço e jantar para uma família particular. Você poderia estar fazendo um menu de degustação de jantar requintado com 5-6 pratos, ou você pode ter tantas pessoas assistindo é como ser um chef de banquete em um hotel. ”

Embora Yosses não tenha cozinhado para Trump, ele compartilhou algumas informações privilegiadas sobre o que os Obama adoravam comer para satisfazer os desejos de doces durante seu tempo na Casa Branca. “Os Obama adoravam todos os tipos de torta”, disse ele ao The Huffington Post. “Torta de frutas no verão, torta de banana, torta de creme de Boston, era isso que eles adoravam. & Quot


Refeições na Casa Branca sob Trump vs. Obama mostra dois gostos dramaticamente diferentes

Das diferenças em seu tom geral e comportamento, às suas políticas políticas preferidas, Donald Trump e Barack Obama são dois presidentes dramaticamente diferentes. Em muitos sentidos, essas diferenças são totalmente aparentes a olho nu. Mas outros colapsos, como as refeições na Casa Branca por Trump x Obama, oferecem uma análise mais sutil de quão diferentes os dois homens realmente são.

De acordo com um relatório de dezembro de 2018 por O jornal New York Times, a Casa Branca passou por mudanças significativas na esfera culinária sob o mandato de Trump - e em mais de uma maneira. Para começar, existem apenas as preferências alimentares relatadas do próprio presidente: embora Obama gostasse de comer fora, Trump aparentemente raramente janta em estabelecimentos públicos de D.C.

Em vez disso, Trump prefere comer na Casa Branca, O jornal New York Times notas adicionais e suas preferências de refeição não poderiam estar mais longe das de Obama. Enquanto a cozinha da Casa Branca preparava couve de Bruxelas e shakshuka (um prato marroquino à base de ovo) sob os olhos de Obama, de acordo com o outlet, agora ela produz bolo de carne e sorvete para o atual presidente.

As papilas gustativas de Trump têm chamado a atenção repetidamente desde que ele foi eleito presidente. Ele comeu um bife cozido demais com ketchup em sua primeira refeição como presidente, de acordo com The Washington Post, e foi aberto sobre sua inclinação por fast food no passado.

Na verdade, um mês de novembro de 2017 Político relatório detalhado do amor de Trump por um quarto de libra com queijo do McDonald's - especificamente, sem pickles e ketchup extra. Ele amou tanto a refeição, relatou a publicação, que ocasionalmente mandava um ajudante ir buscá-la, porque a cozinha da Casa Branca não conseguia deixá-la do jeito que ele queria. Embora Obama tenha um amor documentado por cheeseburgers e refeições rápidas ocasionais, ele afirmou em entrevistas que sua comida favorita são os brócolis.

Não está totalmente claro se os gostos de Trump mudaram desde que assumiu o cargo. Um relatório da Bloomberg de março de 2018 afirmou que POTUS alterou radicalmente sua dieta após seu exame físico presidencial em janeiro de 2018. Uma coisa é certa, porém: Trump ainda detém um lugar especial em seu coração para fast food, uma vez que ele solicitou um jantar banquete repleto disso quando a Casa Branca deu as boas-vindas ao time de futebol americano Clemson em janeiro de 2019, para comemorar sua vitória no campeonato da NCAA.

Especificamente, por O Nova-iorquino, o banquete bufê incluía refeições do McDonald's, Wendy's, Burger King e muito mais. Fotos de jovens atletas enchendo seus pratos com fast food na Casa Branca rapidamente se tornaram virais. Mais tarde, Trump tweetou que ele mesmo pagou o jantar, por causa da paralisação do governo na época.

A comparação entre as preferências dietéticas de Trump e Obama não se trata apenas do que eles escolhem comer pessoalmente e oferecem aos hóspedes da Casa Branca. Também tem a ver com a forma como as administrações usam os alimentos para unificar as comunidades e reduzir a divisão com outras culturas. O jornal New York Times relata que, embora a Casa Branca de Obama frequentemente contasse com chefs locais, o governo Trump não prioriza mais esse esforço.

Victor Albisu, chef local dono dos restaurantes Poca Madre e Taco Bamba e que costumava cozinhar na Casa Branca para Obama e George W. Bush, disse que O jornal New York Times em 2018, “Não cozinhei para ninguém na administração [Trump]. É um momento de polarização para as pessoas, e uma mesa cheia de comidas e bebidas é o lugar para deixar de lado essas diferenças. Acho que isso foi uma perda líquida para todos. ”

O novo estilo culinário de Trump começou a se espalhar para os programas de merenda escolar em todo o país. De acordo com The Washington Post, o Departamento de Agricultura dos EUA anunciou suas intenções de lançar cardápios de merenda escolar embalados com mais sal e menos grãos inteiros em dezembro de 2018.

O secretário Sonny Perdue disse sobre a mudança proposta para The Washington Post, “Se as crianças não comem o que está sendo servido, elas não se beneficiam e a comida está sendo desperdiçada. & Quot

Então, em janeiro de 2020, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos propôs outra rodada de regras, que permitiria às escolas reduzir a quantidade necessária de vegetais e frutas para almoços e cafés da manhã e, simultaneamente, expandir seu direito de vender pizza, hambúrgueres e batatas fritas para os alunos em vez de. Por The Washington Post, essas novas propostas também permitiriam outras mudanças, incluindo permitir que as escolas ofereçam uma batata como legume obrigatório todos os dias. Essas alterações de regras propostas foram enviadas ao Federal Register em 23 de janeiro e estarão abertas para comentários do público por 60 dias.

Independentemente da pessoa que ocupa atualmente o cargo mais importante na Casa Branca, os chefs presidenciais disseram no passado que o trabalho geralmente é bastante variado. Bill Yosses, proprietário de um restaurante e ex-chef de confeitaria da Casa Branca de 2006 a 2014, disse ao The Huffington Post: "É como ser um chef de hotel, um chef particular e um chef de restaurante, tudo em um. & Quot

Ele explicou, & quotVocê está preparando café da manhã, almoço e jantar para uma família particular. Você poderia estar fazendo um menu de degustação de jantar requintado com 5-6 pratos, ou você pode ter tantas pessoas assistindo é como ser um chef de banquete em um hotel. ”

Embora Yosses não tenha cozinhado para Trump, ele compartilhou algumas informações privilegiadas sobre o que os Obama adoravam comer para satisfazer os desejos de doces durante seu tempo na Casa Branca. “Os Obama adoravam todos os tipos de torta”, disse ele ao The Huffington Post. “Torta de frutas no verão, torta de banana com creme, torta de creme de Boston, era isso que eles adoravam. & Quot


Refeições na Casa Branca sob Trump vs. Obama mostra dois gostos dramaticamente diferentes

Das diferenças em seu tom geral e comportamento, às suas políticas políticas preferidas, Donald Trump e Barack Obama são dois presidentes dramaticamente diferentes. Em muitos sentidos, essas diferenças são totalmente aparentes a olho nu. Mas outros colapsos, como as refeições na Casa Branca por Trump x Obama, oferecem uma análise mais sutil de quão diferentes os dois homens realmente são.

De acordo com um relatório de dezembro de 2018 por O jornal New York Times, a Casa Branca passou por mudanças significativas na esfera culinária sob o mandato de Trump - e em mais de uma maneira. Para começar, existem apenas as preferências alimentares relatadas do próprio presidente: embora Obama gostasse de comer fora, Trump aparentemente raramente janta em estabelecimentos públicos de D.C.

Em vez disso, Trump prefere comer na Casa Branca, O jornal New York Times notas adicionais e suas preferências de refeição não poderiam estar mais longe das de Obama. Enquanto a cozinha da Casa Branca preparava couve de Bruxelas e shakshuka (um prato marroquino à base de ovo) sob os olhos de Obama, de acordo com o outlet, agora ela produz bolo de carne e sorvete para o atual presidente.

As papilas gustativas de Trump têm chamado a atenção repetidamente desde que ele foi eleito presidente. Ele comeu um bife cozido demais com ketchup em sua primeira refeição como presidente, de acordo com The Washington Post, e foi aberto sobre sua inclinação por fast food no passado.

Na verdade, um mês de novembro de 2017 Político relatório detalhado do amor de Trump por um quarto de libra com queijo do McDonald's - especificamente, sem pickles e ketchup extra. Ele amou tanto a refeição, relatou a publicação, que ocasionalmente mandava um ajudante ir buscá-la, porque a cozinha da Casa Branca não conseguia deixá-la do jeito que ele queria. Embora Obama tenha um amor documentado por cheeseburgers e refeições rápidas ocasionais, ele afirmou em entrevistas que sua comida favorita são os brócolis.

Não está totalmente claro se os gostos de Trump mudaram desde que assumiu o cargo. Um relatório da Bloomberg de março de 2018 afirmou que POTUS alterou radicalmente sua dieta após seu exame físico presidencial em janeiro de 2018. Uma coisa é certa, porém: Trump ainda detém um lugar especial em seu coração para fast food, uma vez que ele solicitou um jantar banquete repleto disso quando a Casa Branca deu as boas-vindas ao time de futebol americano Clemson em janeiro de 2019, para comemorar sua vitória no campeonato da NCAA.

Especificamente, por O Nova-iorquino, o banquete bufê incluía refeições do McDonald's, Wendy's, Burger King e muito mais. Fotos de jovens atletas enchendo seus pratos com fast food na Casa Branca rapidamente se tornaram virais. Mais tarde, Trump tweetou que ele mesmo pagou o jantar, por causa da paralisação do governo na época.

A comparação entre as preferências dietéticas de Trump e Obama não se trata apenas do que eles escolhem comer pessoalmente e oferecem aos hóspedes da Casa Branca. Também tem a ver com a forma como as administrações usam os alimentos para unificar as comunidades e reduzir a divisão com outras culturas. O jornal New York Times relata que, embora a Casa Branca de Obama frequentemente contasse com chefs locais, o governo Trump não prioriza mais esse esforço.

Victor Albisu, chef local dono dos restaurantes Poca Madre e Taco Bamba e que costumava cozinhar na Casa Branca para Obama e George W. Bush, disse que O jornal New York Times em 2018, “Não cozinhei para ninguém na administração [Trump]. É um momento de polarização para as pessoas, e uma mesa cheia de comidas e bebidas é o lugar para deixar de lado essas diferenças. Acho que isso foi uma perda líquida para todos. ”

O novo estilo culinário de Trump começou a se espalhar para os programas de merenda escolar em todo o país. De acordo com The Washington Post, o Departamento de Agricultura dos EUA anunciou suas intenções de lançar cardápios de merenda escolar embalados com mais sal e menos grãos inteiros em dezembro de 2018.

O secretário Sonny Perdue disse sobre a mudança proposta para The Washington Post, “Se as crianças não comem o que está sendo servido, não estão se beneficiando e a comida está sendo desperdiçada. & Quot

Então, em janeiro de 2020, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos propôs outra rodada de regras, que permitiria às escolas reduzir a quantidade necessária de vegetais e frutas para almoços e cafés da manhã e, simultaneamente, expandir seu direito de vender pizza, hambúrgueres e batatas fritas para os alunos em vez de. Por The Washington Post, essas novas propostas também permitiriam outras mudanças, incluindo permitir que as escolas ofereçam uma batata como legume obrigatório todos os dias. Essas alterações de regras propostas foram submetidas ao Federal Register em 23 de janeiro e estarão abertas para comentários do público por 60 dias.

Independentemente da pessoa que ocupa atualmente o cargo mais importante na Casa Branca, os chefs presidenciais já disseram que o trabalho costuma ser bastante variado. Bill Yosses, proprietário de um restaurante e ex-chef de confeitaria da Casa Branca de 2006-2014, disse ao The Huffington Post: "É como ser um chef de hotel, um chef particular e um chef de restaurante em um só lugar. & Quot

Ele explicou, & quotVocê está preparando café da manhã, almoço e jantar para uma família particular. Você poderia estar fazendo um menu de degustação de jantar requintado com 5-6 pratos, ou você pode ter tantas pessoas assistindo é como ser um chef de banquete em um hotel. ”

Embora Yosses não tenha cozinhado para Trump, ele compartilhou algumas informações privilegiadas sobre o que os Obama adoravam comer para satisfazer os desejos de doces durante seu tempo na Casa Branca. “Os Obama adoravam todos os tipos de torta”, disse ele ao The Huffington Post. “Torta de frutas no verão, torta de banana, torta de creme de Boston, era isso que eles adoravam. & Quot


Refeições na Casa Branca sob Trump vs. Obama mostra dois gostos dramaticamente diferentes

Das diferenças em seu tom geral e comportamento, às suas políticas políticas preferidas, Donald Trump e Barack Obama são dois presidentes dramaticamente diferentes. Em muitos sentidos, essas diferenças são totalmente aparentes a olho nu. Mas outros colapsos, como as refeições na Casa Branca por Trump x Obama, oferecem uma análise mais sutil de como os dois homens realmente são diferentes.

De acordo com um relatório de dezembro de 2018 por O jornal New York Times, a Casa Branca passou por mudanças significativas na esfera culinária sob o mandato de Trump - e em mais de uma maneira. Para começar, existem apenas as preferências alimentares relatadas do próprio presidente: embora Obama gostasse de comer fora, Trump aparentemente raramente janta em estabelecimentos públicos de D.C.

Em vez disso, Trump prefere comer na Casa Branca, O jornal New York Times notas adicionais e suas preferências de refeição não poderiam estar mais longe das de Obama. Enquanto a cozinha da Casa Branca preparava couve de Bruxelas e shakshuka (um prato marroquino à base de ovo) sob os olhos de Obama, de acordo com o canal, agora ela produz bolo de carne e sorvete para o atual presidente.

As papilas gustativas de Trump têm chamado a atenção repetidas vezes desde que ele foi eleito presidente. He notably ate an over-cooked steak with ketchup for his first meal as president, according to The Washington Post, and has been open about his penchant for fast food in the past.

In fact, one November 2017 Politico report detailed Trump's love of a quarter-pounder with cheese from McDonald's — specifically, with no pickles and extra ketchup. He loved the meal so much, the publication reported, that he occasionally sent an aide to go get it, because the White House kitchen couldn't make it quite like he wanted it. While Obama has a documented love of cheeseburgers and the occasional fast food meal, he has maintained in interviews that his favorite food is broccoli.

It's not entirely clear whether Trump's tastes have changed at all since taking office. A March 2018 Bloomberg report claimed that POTUS did radically alter his diet after his presidential physical in January 2018. One thing is clear, though: Trump still holds a special place in his heart for fast food, since he requested a dinner banquet full of it when the White House welcomed the Clemson football team in January 2019, to celebrate their NCAA championship win.

Specifically, per The New Yorker, the banquet smorgasbord included meals from McDonald's, Wendy's, Burger King, and more. Photos of the young athletes piling their plates with fast food at the White House quickly went viral. Trump would later tweet that he paid for the dinner himself, because of the government shutdown at the time.

The comparison between Trump and Obama's dietary preferences isn't just about what they personally choose to eat and offer guests at the White House, though. It also has to do with how the administrations use food to unify communities and bridge the divide with other cultures. The New York Times reports that while Obama's White House often featured local chefs, the Trump administration no longer prioritizes that effort.

Victor Albisu, a local chef who owns the Poca Madre and Taco Bamba restaurants and who used to cook at the White House for both Obama and George W. Bush, said to The New York Times in 2018, “I have not cooked for anybody in the [Trump] administration. It’s a polarizing time for people, and a table full of food and drinks is the place to put aside those differences. I think this has been a net loss for everyone.”

The new culinary style under Trump has even begun to spread out to school lunch programs across the country. De acordo com The Washington Post, the U.S. Agriculture Department announced its intentions to roll out school lunch menus packed with more salt and less whole grain in December 2018.

Secretary Sonny Perdue said of the proposed change to The Washington Post, “If kids are not eating what is being served, they are not benefiting, and food is being wasted."

Then, in January 2020, the U.S. Agriculture Department proposed another round of rules, which would allow schools to cut the required amount of veggies and fruits for lunches and breakfasts, and to simultaneously expand their right to sell pizza, burgers, and fries to students instead. Per The Washington Post, these new proposals would also allow other changes, including allowing schools to offer a potato as the required vegetable every single day. These proposed rule changes were submitted to the Federal Register on Jan. 23, and will be open for comment to the public for 60 days.

Regardless of the person currently occupying the top role in the White House, presidential chefs have said in the past that the job is usually quite varied. Bill Yosses, a restaurant owner and former pastry chef at the White House from 2006-2014, said to The Huffington Post, “It’s like being a hotel chef, a private chef and a restaurant chef all in one."

He explained, "You’re cooking breakfast, lunch and dinner for a private family. You could be doing a fine dining tasting menu with 5-6 courses, or you might have so many people coming through it’s like being a banquet chef in a hotel.”

Though Yosses did not cook for Trump, he did share a little bit of insider info on what the Obamas loved to eat to satisfy sweet tooth cravings during their time in the White House. “The Obamas loved pie of every kind,” he told The Huffington Post. “Fruit pie in the summer, banana cream pie, Boston cream pie, that’s what they loved."


White House Meals Under Trump Vs. Obama Show Two Dramatically Different Tastes

From the differences in their general tone and demeanor, to their preferred political policies, Donald Trump and Barack Obama are two dramatically different presidents. In many senses, these differences are totally apparent to the naked eye. But other breakdowns, like the White House meals for Trump vs. Obama, offer a more subtle analysis into how unalike the two men really are.

According a December 2018 report by The New York Times, the White House has undergone significant change in the culinary sphere under Trump's tenure — and in more ways than one. To begin with, there are just the reported eating preferences of the president, himself: while Obama used to enjoy eating out, Trump apparently rarely dines in public D.C. establishments.

Instead, Trump prefers to eat in at the White House, The New York Times further notes, and his meal preferences couldn't be further from Obama's. While the White House kitchen cooked up Brussels sprouts and shakshuka (an egg-based Moroccan dish) under Obama's eye, according to the outlet, it now churns out meatloaf and ice cream for the current president.

Trump's tastebuds have drawn attention again and again since he was elected president. He notably ate an over-cooked steak with ketchup for his first meal as president, according to The Washington Post, and has been open about his penchant for fast food in the past.

In fact, one November 2017 Politico report detailed Trump's love of a quarter-pounder with cheese from McDonald's — specifically, with no pickles and extra ketchup. He loved the meal so much, the publication reported, that he occasionally sent an aide to go get it, because the White House kitchen couldn't make it quite like he wanted it. While Obama has a documented love of cheeseburgers and the occasional fast food meal, he has maintained in interviews that his favorite food is broccoli.

It's not entirely clear whether Trump's tastes have changed at all since taking office. A March 2018 Bloomberg report claimed that POTUS did radically alter his diet after his presidential physical in January 2018. One thing is clear, though: Trump still holds a special place in his heart for fast food, since he requested a dinner banquet full of it when the White House welcomed the Clemson football team in January 2019, to celebrate their NCAA championship win.

Specifically, per The New Yorker, the banquet smorgasbord included meals from McDonald's, Wendy's, Burger King, and more. Photos of the young athletes piling their plates with fast food at the White House quickly went viral. Trump would later tweet that he paid for the dinner himself, because of the government shutdown at the time.

The comparison between Trump and Obama's dietary preferences isn't just about what they personally choose to eat and offer guests at the White House, though. It also has to do with how the administrations use food to unify communities and bridge the divide with other cultures. The New York Times reports that while Obama's White House often featured local chefs, the Trump administration no longer prioritizes that effort.

Victor Albisu, a local chef who owns the Poca Madre and Taco Bamba restaurants and who used to cook at the White House for both Obama and George W. Bush, said to The New York Times in 2018, “I have not cooked for anybody in the [Trump] administration. It’s a polarizing time for people, and a table full of food and drinks is the place to put aside those differences. I think this has been a net loss for everyone.”

The new culinary style under Trump has even begun to spread out to school lunch programs across the country. De acordo com The Washington Post, the U.S. Agriculture Department announced its intentions to roll out school lunch menus packed with more salt and less whole grain in December 2018.

Secretary Sonny Perdue said of the proposed change to The Washington Post, “If kids are not eating what is being served, they are not benefiting, and food is being wasted."

Then, in January 2020, the U.S. Agriculture Department proposed another round of rules, which would allow schools to cut the required amount of veggies and fruits for lunches and breakfasts, and to simultaneously expand their right to sell pizza, burgers, and fries to students instead. Per The Washington Post, these new proposals would also allow other changes, including allowing schools to offer a potato as the required vegetable every single day. These proposed rule changes were submitted to the Federal Register on Jan. 23, and will be open for comment to the public for 60 days.

Regardless of the person currently occupying the top role in the White House, presidential chefs have said in the past that the job is usually quite varied. Bill Yosses, a restaurant owner and former pastry chef at the White House from 2006-2014, said to The Huffington Post, “It’s like being a hotel chef, a private chef and a restaurant chef all in one."

He explained, "You’re cooking breakfast, lunch and dinner for a private family. You could be doing a fine dining tasting menu with 5-6 courses, or you might have so many people coming through it’s like being a banquet chef in a hotel.”

Though Yosses did not cook for Trump, he did share a little bit of insider info on what the Obamas loved to eat to satisfy sweet tooth cravings during their time in the White House. “The Obamas loved pie of every kind,” he told The Huffington Post. “Fruit pie in the summer, banana cream pie, Boston cream pie, that’s what they loved."


White House Meals Under Trump Vs. Obama Show Two Dramatically Different Tastes

From the differences in their general tone and demeanor, to their preferred political policies, Donald Trump and Barack Obama are two dramatically different presidents. In many senses, these differences are totally apparent to the naked eye. But other breakdowns, like the White House meals for Trump vs. Obama, offer a more subtle analysis into how unalike the two men really are.

According a December 2018 report by The New York Times, the White House has undergone significant change in the culinary sphere under Trump's tenure — and in more ways than one. To begin with, there are just the reported eating preferences of the president, himself: while Obama used to enjoy eating out, Trump apparently rarely dines in public D.C. establishments.

Instead, Trump prefers to eat in at the White House, The New York Times further notes, and his meal preferences couldn't be further from Obama's. While the White House kitchen cooked up Brussels sprouts and shakshuka (an egg-based Moroccan dish) under Obama's eye, according to the outlet, it now churns out meatloaf and ice cream for the current president.

Trump's tastebuds have drawn attention again and again since he was elected president. He notably ate an over-cooked steak with ketchup for his first meal as president, according to The Washington Post, and has been open about his penchant for fast food in the past.

In fact, one November 2017 Politico report detailed Trump's love of a quarter-pounder with cheese from McDonald's — specifically, with no pickles and extra ketchup. He loved the meal so much, the publication reported, that he occasionally sent an aide to go get it, because the White House kitchen couldn't make it quite like he wanted it. While Obama has a documented love of cheeseburgers and the occasional fast food meal, he has maintained in interviews that his favorite food is broccoli.

It's not entirely clear whether Trump's tastes have changed at all since taking office. A March 2018 Bloomberg report claimed that POTUS did radically alter his diet after his presidential physical in January 2018. One thing is clear, though: Trump still holds a special place in his heart for fast food, since he requested a dinner banquet full of it when the White House welcomed the Clemson football team in January 2019, to celebrate their NCAA championship win.

Specifically, per The New Yorker, the banquet smorgasbord included meals from McDonald's, Wendy's, Burger King, and more. Photos of the young athletes piling their plates with fast food at the White House quickly went viral. Trump would later tweet that he paid for the dinner himself, because of the government shutdown at the time.

The comparison between Trump and Obama's dietary preferences isn't just about what they personally choose to eat and offer guests at the White House, though. It also has to do with how the administrations use food to unify communities and bridge the divide with other cultures. The New York Times reports that while Obama's White House often featured local chefs, the Trump administration no longer prioritizes that effort.

Victor Albisu, a local chef who owns the Poca Madre and Taco Bamba restaurants and who used to cook at the White House for both Obama and George W. Bush, said to The New York Times in 2018, “I have not cooked for anybody in the [Trump] administration. It’s a polarizing time for people, and a table full of food and drinks is the place to put aside those differences. I think this has been a net loss for everyone.”

The new culinary style under Trump has even begun to spread out to school lunch programs across the country. De acordo com The Washington Post, the U.S. Agriculture Department announced its intentions to roll out school lunch menus packed with more salt and less whole grain in December 2018.

Secretary Sonny Perdue said of the proposed change to The Washington Post, “If kids are not eating what is being served, they are not benefiting, and food is being wasted."

Then, in January 2020, the U.S. Agriculture Department proposed another round of rules, which would allow schools to cut the required amount of veggies and fruits for lunches and breakfasts, and to simultaneously expand their right to sell pizza, burgers, and fries to students instead. Per The Washington Post, these new proposals would also allow other changes, including allowing schools to offer a potato as the required vegetable every single day. These proposed rule changes were submitted to the Federal Register on Jan. 23, and will be open for comment to the public for 60 days.

Regardless of the person currently occupying the top role in the White House, presidential chefs have said in the past that the job is usually quite varied. Bill Yosses, a restaurant owner and former pastry chef at the White House from 2006-2014, said to The Huffington Post, “It’s like being a hotel chef, a private chef and a restaurant chef all in one."

He explained, "You’re cooking breakfast, lunch and dinner for a private family. You could be doing a fine dining tasting menu with 5-6 courses, or you might have so many people coming through it’s like being a banquet chef in a hotel.”

Though Yosses did not cook for Trump, he did share a little bit of insider info on what the Obamas loved to eat to satisfy sweet tooth cravings during their time in the White House. “The Obamas loved pie of every kind,” he told The Huffington Post. “Fruit pie in the summer, banana cream pie, Boston cream pie, that’s what they loved."


White House Meals Under Trump Vs. Obama Show Two Dramatically Different Tastes

From the differences in their general tone and demeanor, to their preferred political policies, Donald Trump and Barack Obama are two dramatically different presidents. In many senses, these differences are totally apparent to the naked eye. But other breakdowns, like the White House meals for Trump vs. Obama, offer a more subtle analysis into how unalike the two men really are.

According a December 2018 report by The New York Times, the White House has undergone significant change in the culinary sphere under Trump's tenure — and in more ways than one. To begin with, there are just the reported eating preferences of the president, himself: while Obama used to enjoy eating out, Trump apparently rarely dines in public D.C. establishments.

Instead, Trump prefers to eat in at the White House, The New York Times further notes, and his meal preferences couldn't be further from Obama's. While the White House kitchen cooked up Brussels sprouts and shakshuka (an egg-based Moroccan dish) under Obama's eye, according to the outlet, it now churns out meatloaf and ice cream for the current president.

Trump's tastebuds have drawn attention again and again since he was elected president. He notably ate an over-cooked steak with ketchup for his first meal as president, according to The Washington Post, and has been open about his penchant for fast food in the past.

In fact, one November 2017 Politico report detailed Trump's love of a quarter-pounder with cheese from McDonald's — specifically, with no pickles and extra ketchup. He loved the meal so much, the publication reported, that he occasionally sent an aide to go get it, because the White House kitchen couldn't make it quite like he wanted it. While Obama has a documented love of cheeseburgers and the occasional fast food meal, he has maintained in interviews that his favorite food is broccoli.

It's not entirely clear whether Trump's tastes have changed at all since taking office. A March 2018 Bloomberg report claimed that POTUS did radically alter his diet after his presidential physical in January 2018. One thing is clear, though: Trump still holds a special place in his heart for fast food, since he requested a dinner banquet full of it when the White House welcomed the Clemson football team in January 2019, to celebrate their NCAA championship win.

Specifically, per The New Yorker, the banquet smorgasbord included meals from McDonald's, Wendy's, Burger King, and more. Photos of the young athletes piling their plates with fast food at the White House quickly went viral. Trump would later tweet that he paid for the dinner himself, because of the government shutdown at the time.

The comparison between Trump and Obama's dietary preferences isn't just about what they personally choose to eat and offer guests at the White House, though. It also has to do with how the administrations use food to unify communities and bridge the divide with other cultures. The New York Times reports that while Obama's White House often featured local chefs, the Trump administration no longer prioritizes that effort.

Victor Albisu, a local chef who owns the Poca Madre and Taco Bamba restaurants and who used to cook at the White House for both Obama and George W. Bush, said to The New York Times in 2018, “I have not cooked for anybody in the [Trump] administration. It’s a polarizing time for people, and a table full of food and drinks is the place to put aside those differences. I think this has been a net loss for everyone.”

The new culinary style under Trump has even begun to spread out to school lunch programs across the country. De acordo com The Washington Post, the U.S. Agriculture Department announced its intentions to roll out school lunch menus packed with more salt and less whole grain in December 2018.

Secretary Sonny Perdue said of the proposed change to The Washington Post, “If kids are not eating what is being served, they are not benefiting, and food is being wasted."

Then, in January 2020, the U.S. Agriculture Department proposed another round of rules, which would allow schools to cut the required amount of veggies and fruits for lunches and breakfasts, and to simultaneously expand their right to sell pizza, burgers, and fries to students instead. Per The Washington Post, these new proposals would also allow other changes, including allowing schools to offer a potato as the required vegetable every single day. These proposed rule changes were submitted to the Federal Register on Jan. 23, and will be open for comment to the public for 60 days.

Regardless of the person currently occupying the top role in the White House, presidential chefs have said in the past that the job is usually quite varied. Bill Yosses, a restaurant owner and former pastry chef at the White House from 2006-2014, said to The Huffington Post, “It’s like being a hotel chef, a private chef and a restaurant chef all in one."

He explained, "You’re cooking breakfast, lunch and dinner for a private family. You could be doing a fine dining tasting menu with 5-6 courses, or you might have so many people coming through it’s like being a banquet chef in a hotel.”

Though Yosses did not cook for Trump, he did share a little bit of insider info on what the Obamas loved to eat to satisfy sweet tooth cravings during their time in the White House. “The Obamas loved pie of every kind,” he told The Huffington Post. “Fruit pie in the summer, banana cream pie, Boston cream pie, that’s what they loved."


White House Meals Under Trump Vs. Obama Show Two Dramatically Different Tastes

From the differences in their general tone and demeanor, to their preferred political policies, Donald Trump and Barack Obama are two dramatically different presidents. In many senses, these differences are totally apparent to the naked eye. But other breakdowns, like the White House meals for Trump vs. Obama, offer a more subtle analysis into how unalike the two men really are.

According a December 2018 report by The New York Times, the White House has undergone significant change in the culinary sphere under Trump's tenure — and in more ways than one. To begin with, there are just the reported eating preferences of the president, himself: while Obama used to enjoy eating out, Trump apparently rarely dines in public D.C. establishments.

Instead, Trump prefers to eat in at the White House, The New York Times further notes, and his meal preferences couldn't be further from Obama's. While the White House kitchen cooked up Brussels sprouts and shakshuka (an egg-based Moroccan dish) under Obama's eye, according to the outlet, it now churns out meatloaf and ice cream for the current president.

Trump's tastebuds have drawn attention again and again since he was elected president. He notably ate an over-cooked steak with ketchup for his first meal as president, according to The Washington Post, and has been open about his penchant for fast food in the past.

In fact, one November 2017 Politico report detailed Trump's love of a quarter-pounder with cheese from McDonald's — specifically, with no pickles and extra ketchup. He loved the meal so much, the publication reported, that he occasionally sent an aide to go get it, because the White House kitchen couldn't make it quite like he wanted it. While Obama has a documented love of cheeseburgers and the occasional fast food meal, he has maintained in interviews that his favorite food is broccoli.

It's not entirely clear whether Trump's tastes have changed at all since taking office. A March 2018 Bloomberg report claimed that POTUS did radically alter his diet after his presidential physical in January 2018. One thing is clear, though: Trump still holds a special place in his heart for fast food, since he requested a dinner banquet full of it when the White House welcomed the Clemson football team in January 2019, to celebrate their NCAA championship win.

Specifically, per The New Yorker, the banquet smorgasbord included meals from McDonald's, Wendy's, Burger King, and more. Photos of the young athletes piling their plates with fast food at the White House quickly went viral. Trump would later tweet that he paid for the dinner himself, because of the government shutdown at the time.

The comparison between Trump and Obama's dietary preferences isn't just about what they personally choose to eat and offer guests at the White House, though. It also has to do with how the administrations use food to unify communities and bridge the divide with other cultures. The New York Times reports that while Obama's White House often featured local chefs, the Trump administration no longer prioritizes that effort.

Victor Albisu, a local chef who owns the Poca Madre and Taco Bamba restaurants and who used to cook at the White House for both Obama and George W. Bush, said to The New York Times in 2018, “I have not cooked for anybody in the [Trump] administration. It’s a polarizing time for people, and a table full of food and drinks is the place to put aside those differences. I think this has been a net loss for everyone.”

The new culinary style under Trump has even begun to spread out to school lunch programs across the country. De acordo com The Washington Post, the U.S. Agriculture Department announced its intentions to roll out school lunch menus packed with more salt and less whole grain in December 2018.

Secretary Sonny Perdue said of the proposed change to The Washington Post, “If kids are not eating what is being served, they are not benefiting, and food is being wasted."

Then, in January 2020, the U.S. Agriculture Department proposed another round of rules, which would allow schools to cut the required amount of veggies and fruits for lunches and breakfasts, and to simultaneously expand their right to sell pizza, burgers, and fries to students instead. Per The Washington Post, these new proposals would also allow other changes, including allowing schools to offer a potato as the required vegetable every single day. These proposed rule changes were submitted to the Federal Register on Jan. 23, and will be open for comment to the public for 60 days.

Regardless of the person currently occupying the top role in the White House, presidential chefs have said in the past that the job is usually quite varied. Bill Yosses, a restaurant owner and former pastry chef at the White House from 2006-2014, said to The Huffington Post, “It’s like being a hotel chef, a private chef and a restaurant chef all in one."

He explained, "You’re cooking breakfast, lunch and dinner for a private family. You could be doing a fine dining tasting menu with 5-6 courses, or you might have so many people coming through it’s like being a banquet chef in a hotel.”

Though Yosses did not cook for Trump, he did share a little bit of insider info on what the Obamas loved to eat to satisfy sweet tooth cravings during their time in the White House. “The Obamas loved pie of every kind,” he told The Huffington Post. “Fruit pie in the summer, banana cream pie, Boston cream pie, that’s what they loved."


Assista o vídeo: CO LUBIĘ W POLSKICH MĘŻCZYZNACH? UKRAINKA O POLAKACH. (Janeiro 2022).